Ser minimalistamente Eclética

Na minha senda para a Optimização, tenho procurado simplificar e organizar diferentes coisas de um modo minimalista (simples e eficaz), ou seja, minimalistamente eclético.

Isto porque sei que, quanto mais simples um modo de organização for, mais eu consigo funcionar com ele. Se for mais dado a segundas interpretações e/ou a categorizações demais, mais me complica o sistema!

Além disso, sei que, tendo tudo no mesmo local, me é mais fácil manter as coisas em funcionamento e fazê-las entrar na rotina.

Por isso mesmo, várias decisões foram tomadas em relação aqui ao blogue e à minha presença online no geral [mais sobre este assunto brevemente! ;-)].

Uma delas foi a de fundir o Apoiar os Amigos com o Ser Plena, tornando-o uma rubrica deste último.
Surgiu, assim, a necessidade de definir Rubricas considerando a forma como escrevo as entradas e os assuntos sobre os quais escrevo e quero vir a escrever.

Espero que isto faça sentido para vocês também.
Aceitam-se sugestões para novas Rubricas! 🙂

Ser Óptima

Há já alguns anos que, nos primeiros dias de cada ano, me dedico a definir objectivos para atingir no ano que começa, a perceber qual a minha motivação por trás deles  e depois a atribuir uma palavra-chave ao ano novo.

Para este ano de 2017, a minha motivação é: melhorar o que tenho/faço e optimizar tudo o que puder, desde a minha agenda à organização da casa (passando por tudo o resto), a um ritmo calmo, suave, lento e sustentável.
Claro está que, para tal motivação, a palavra-chave é “Optimização*.

Uma das coisas que andei a fazer no final de 2016 foi eliminar algumas contas de aplicações/programas a que não dava uso, a des-subscrever [devia haver uma palavra equivalente a “unsubscribe” na língua portuguesa… à falta de melhor, inventa-se esta! ;-)] newsletters (ao fim e ao cabo, eu sei onde ir buscar a informação…) e começar a destralhar a casa aos poucos, começando pelos armários.
A Optimização começou logo aí e é para manter ao longo de 2017 todo.
E fazer isto a um ritmo calmo, suave, que seja sustentável e que me faça sentir realizada ao mesmo tempo.

devagar2

“Não importa o quão lento você vai, desde que você não pare.” Confúcio

A máxima “Mais é Melhor” não se aplica de todo a mim, muito menos este ano.
Cada vez mais admiro as tartarugas e quero ser como elas: um passo ponderado mas firme de cada vez, pois “Devagar se vai ao longe“.

devagar

Não importa o “quanto” devagar você vai, mas o “quanto” distante você consegue ir.

E vocês, qual é o vosso ritual de final/início de ano?
E qual a vossa palavra-chave para 2017?

A tod@s, votos de um ÓPTIMO ano de 2017!!! 😉

* = escrevo de acordo com a ortografia antiga porque, honestamente (e apesar de não dizer o “p”), me mete muita confusão ler “Otimização”, “Ótima”, “Otimizar”… Foram muitos anos a escrever com “p” para, agora, o deixar cair…
Mas eu hei-de lá chegar!!! Talvez para o ano… 😛

Ser Artesã

Se há coisa que eu sempre admirei foi as pessoas que criam arte com facilidade e carinho, aquelas pessoas a quem as ideias surgem do tudo e que se entregam com cada peça que fazem.

Tenho a sorte de conhecer várias pessoas assim, sendo 2 delas a Helena do Maria’s Design e a Andreia com os seus Raios de Sol.

Como nesta altura anda muito gente atrás de prendas para oferecer no Natal [não vou falar do consumismo… Desta vez!!!], que tal oferecer peças únicas feitas por uma destas artistas?

E depois é só deixar o carinho que elas colocam em cada peça alegrar mais ainda as festas! 🙂

BOAS FESTAS e que 2017 seja um ano pleno de coisas boas! 😀

kriscer_loja solidaria

Porque o Natal é feito de coisas simples – basta juntar carinho! 🙂

P.S.: Se clicarem na foto, encontram mais ideias e, desta feita, solidárias! 😉

Divirtam-se e… Let it snow, Let it snow, Let it snow

https://rd3.videos.sapo.pt/playhtml?file=https://rd3.videos.sapo.pt/4Hc5N7uA2hDSZcJZELgZ/mov/1

Ser Amiga

Há uns tempos atrás ouvi uma máxima que me apelou bastante e que era algo como “Os Amigos são a Família que escolhemos”.

Eu sou abençoada por ter uma família muito alargada, variada e que me apoia bastante. 🙂

Há uns tempos, decidi começar a retribuir.
Claro que a rotina decidiu meter-se no caminho e o projecto ficou em águas de bacalhau… Até hoje! 🙂

Hoje o projecto “Apoiar os Amigos” dá-se a conhecer  e, a cada 2 semanas, um novo amigo será apoiado.

 

apoiar os amigos

Desfrutem! 😀

Ser Pausada

Se há coisa que toda a minha mudança de vida me mostrou é que compensa ser pausada, fazer as coisas com calma, levar a vida num ritmo mais lento que o dos comuns mortais…

Tantas vezes me começo a deixar levar pelo ritmo dos outros, das suas prioridades (quantas vezes trocadas…), das suas pressões… E depois pondero-as de acordo com as minhas, respiro fundo, acalmo, foco e defino as minhas próprias prioridades.
Por isso mesmo vou deixando muitas coisas andar – por não serem prioridade no momento, por não sentir vontade de as fazer e saber que não vale a pena forçar…

Ter esta liberdade e esta consciência acarretam uma grande responsabilidade e, como qualquer mulher que se preze, levam a momentos de dúvida e frustração por não estar a dar respostas no tempo dos outros…
O que vale é que também tenho os momentos de pura decisão e em que dou a volta à situação lembrando-me do porquê de tudo isto e de como esta é a atitude certa a tomar.

A chave é o equilíbrio, é o tirar tempo para pensar, ponderar e meditar. Continuar a ler

Ser Cidadã

A meu ver, a Cidadadia é um Direito que deve ser preservado a todo o custo – quando desistimos de Ser Cidadãos, desistimos do Mundo…

Por isso mesmo, e porque sei que há muitos Cidadãos que se esquecem do seu próprio valor, partilho esta imagem tão esclarecedora:

E a malta do lado direito di: "Nós não votámos porque não faz diferença!"

E a malta do lado direito diz: “Nós não votámos porque não vai fazer diferença!”

Cada um de nós FAZ diferença, por isso vamos TODOS votar!!! Continuar a ler

Ser individua(da)

Enduring and meaningful cultural change happens one individual at a time. It is not the way of the herd that elevates civilization, but the way of the individual.

James G. Johnston, Jung’s Compass of Psychological Types

[“Mudança cultural duradoura e significativa acontece um indivíduo de cada vez. Não é o caminho da manada que eleva a civilização, mas o caminho do indivíduo.”]

Cada um de nós é parte única da Humanidade, da Vida, pelo que cada um tem um valor intrínseco único e imenso.

E cada um de nós tem um caminho próprio para a plenitude, uma Caminhada que só a nós vai sendo revelada e fazendo sentido. Continuar a ler